Sob monitoria, grupos visitam trilha ecológica – Residencial Porta do Sol

Sob monitoria, grupos visitam trilha ecológica

Passeio durou cerca de 1 hora e foi recheado de informações sobre o bioma local

Às 14h do sábado, 5 de junho, os porta-solenses amantes da natureza já aguardavam ansiosos para visitar a Trilha Ecológica do Clube, fechada durante boa parte da pandemia. Apesar de já conhecida pelos associados, desta vez a trilha foi percorrida na companhia dos biólogos Maurício Sanches e Karen Castelli, e também da Diretora de Meio Ambiente da Apaps, Maria Carlos. Durante todo o percurso os três especialistas trouxeram informações preciosas sobre a vegetação encontrada pelo caminho, sobre os recursos naturais da Porta do Sol e a importância de coexistir com eles de forma sustentável.

Grupo caminha pela pista de cooper em direção à trilha

Foram abordados temas como recursos hídricos disponíveis no Residencial, condições para um solo fértil, espécies nativas do Cerrado e Mata Atlântica encontradas pelo caminho e como interagem entre si, até dicas a respeito da separação do lixo doméstico e compostagem, uma forma de contribuir com o planeta mais amplamente. Os participantes podiam fazer perguntas e tirar suas dúvidas com os especialistas. Uma das explicações importantes foi sobre as manchas vermelhas e brancas que aparecem no tronco das árvores, na verdade líquens que funcionam como um indicativo da qualidade do ar no local.

O biólogo Maurício Sanches instrui associados sobre a composição de solos férteis

Trajeto curto

O trajeto, de apenas 300 metros, normalmente demora 15 minutos para ser percorrido, mas com a monitoria teve quase uma hora de duração. Quem não participou do passeio monitorado pode visitar o percurso mesmo sem monitor. A Trilha Ecológica do Clube, localizada atrás do lago, está toda sinalizada. Apesar de pequena, possui algumas subidas e descidas, por isso aconselha-se o uso de roupas de ginástica e tênis. Menores de idade precisam estar acompanhados de um responsável. A trilha pode ser praticada por pessoas de todas as idades, desde que não tenham problemas de mobilidade.

Confira mais na galeria a seguir:

 

Por Marília Heymer 

COMENTÁRIOS