Hípica ganha novo morador e quer ampliar equoterapia

Star Wars nasceu na madrugada de domingo, 4 de fevereiro e é o mais novo morador da Hípica do Residencial Porta Sol. O potrinho, filho da égua Baby, vem ao mundo no momento em que a entidade inicia uma campanha para ampliar o serviço de equoterapia desenvolvido nas suas dependências. Hoje, dezoito crianças e jovens da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Mairinque são atendidos no local.
Cada um desses dezoito alunos atendidos conta com um padrinho – associado da Apaps – que cobre as despesas com o projeto. O custo mensal para cada padrinho é de R$ 160,00, dinheiro que é debitado do associado juntamente com o custo do Residencial.

Francisco Zambrana Junior, gerente da Hípica, explica que a Apae de Mairinque conta com 120 alunos e que a maioria deles aguarda na fila para poder participar da terapia. “Precisamos de padrinhos para ampliar o número de pessoas atendidas. O custo é pequeno demais quando se observa os resultados positivos conseguidos com a terapia”, afirma Zambrana.

A psicóloga Renata Russo Reis Lavini Crevatin, especializada em equoterapia, presta serviço para a Apae na Hípica há três anos e reforça a afirmação de Francisco Zambrana. Ela relata que o paciente apresenta uma melhora visível a curto e a médio prazo a partir do momento em que inicia a terapia.
A equoterapia – conforme explica Renata – é um método terapêutico e educacional que utiliza a vinculação do cavalo como forma de o paciente ativar seu tônus muscular, melhorar a coordenação motora, ampliar a concentração e autoconfiança, além de aliviar o estresse e diminuir a ansiedade.
Renata conta que a evolução acontece na parte física, cognitiva e psicológica, o aluno melhora o equilíbrio e ganha autoconfiança. “Daí a importância dos padrinhos para que esse projeto seja ampliado, pois as crianças da Apae são carentes na maioria das vezes”.

A dona de casa Maria Aparecida Ramos tem direito à guarda do seu neto, Henzo Raphael da Silva, de 7 anos, que sofre de transtorno mental. Toda semana a avó leva o menino, que tem deficiência na voz e na coordenação motora, para uma sessão de equoterapia na Hípica.
Dona Aparecida relata que quando trouxe o neto para a primeira terapia com cavalos, há dois anos, ele pouco se mexia, não interagia com outras pessoas e era demasiadamente agitado. “Hoje ele é um menino muito mais calmo, consegue frequentar a escola do bairro e melhorou muito o relacionamento com as outras crianças”, conta a avó.

Quem tiver interesse em se integrar à parceria da Apaps com a Apae pode comparecer à recepção do Clube e preencher um documento que o autoriza a tornar-se um padrinho. Para outras informações, contate nosso SAP (Serviço de Atendimento ao Proprietário) por meio do e-mail sap@portasol.com.br ou pelo telefone 4246-6464 opção 3.

 

 

e79bffbf-4f08-4680-a874-32c7ae2e4454

Foto:: Star Wars e sua mãe Baby.

 

Foto:Psicóloga Renata Crevatin em aula com  Henzo Raphael da Silva

IMG_9757

Foto: Psicóloga Renata Crevatin,Maria Aparecida Ramos e seu neto, Henzo Raphael da Silva

Por: Marcos Capitão

COMENTÁRIOS